sexta-feira, 20 de junho de 2008

Gregori Warchavchik



Gregori Warchavchik nasceu a 2 de abril de 1896 em Odessa, na Rússia, deixou sua cidade natal em 1918, seguindo para Roma, onde estudou arquitetura no "Instituto Superior de Belle Arti", conseguindo seu diploma em 1920. Trabalhou durante dois anos com Marcello Piacentini e, como seu ajudante, dirigiu a construção do Teatro de Savoia, em Florença.
Veio para o Brasil em 1923, embebido das idéias novas que marcavam a Europa de então, contratado pela Companhia Construtora de Santos, que Roberto Simonsen dirigia. Encontrou aqui em São Paulo apenas uma pequena província, mas que fervia, em seus meios intelectuais, de idéias renovadoras que artistas como Graça Aranha, Menotti Del Picchia, Ronald de Carvalho, Mario de Andrade, Oswald de Andrade, Di Cavalcanti, Anita Malfatti e outros deram a publico na Semana de Arte Moderna, realizada em fevereiro do ano anterior.

Neste ambiente, que o próprio Warchavchik considerou como "terreno preparado para minhas idéias e meus sonhos", começou a trabalhar.
Já em 1927 construía, na Vila Mariana, mais exatamente na rua Santa Cruz, aquela que seria a primeira casa modernista, "surgindo revolucionariamente no panorama arquitetônico paulistano", como disse Geraldo Ferraz.
O espírito renovador e revolucionário de Warchavchik iria se fazer presente no arquiteto até o dia de sua morte. E, naturalmente, diversas dificuldades se lhe impuseram a ele e a suas concepções estéticas.
A Prefeitura Municipal, por exemplo, negava-se a aprovar seus projetos com fachadas lisas. Para receber a aprovação, Warchavchik modificava a planta original, disfarçando a com nichos. Desta forma, conseguia a aprovação e quando a Prefeitura, na hora de conceder o "habite-se" percebia que a construção não correspondia à planta autorizada, Warchavchik desculpava-se dizendo que a construção não havia sido acabada por falta de dinheiro.

Assim, conseguiu a autorização para diversas construções.
Além da "primeira casa modernista" da rua Santa Cruz, de 1927 e da casa também modernista da rua Itápolis (1930), há, ainda em São Paulo, inúmeras construções suas, como o prédio numero 1003, da alameda Barão de Limeira, pequenas residências na rua Melo Alves, rua Avanhandava e casa populares na rua Afonso Celso e Dona Berta. Trabalhou ainda com Lucio Costa e tem casa construídas no Rio.

Por: Camila R. Carloni

Links importantes:
http://www.soarquitetura.com.br/template.asp?pk_id_area=18&pk_id_topico=214&pk_id_template=1
http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/GregoriW.html
http://decimoandarparaomundo.blogspot.com/2007/07/gregori-warchavchik-1896-1972.html
http://www.cosacnaify.com.br/loja/biografia.asp?IDAutor=355

Nenhum comentário: